Return to Membros ativos

BSc. Giorgio Morbioli

Uso de celulose para ensaios bioanalíticos com dispositivos microfluídicos em papel (μ – PADs)

Estabelecer diagnósticos é a forma mais eficiente na identificação, prevenção e tratamento de doenças em regiões carentes, rurais ou em países subdesenvolvidos, onde há limitações e barreiras a serem quebradas no ramo da tecnologia.

Uma abordagem prática para superar essa limitação é o uso de dispositivos baseados em papeis microfluídicos (μ – PADs).

Esta área de pesquisa é recente, e precisa e permite melhorias. A funcionalização de celulose é uma ferramenta poderosa para evitar a preparação da amostra e a interferência de utilizador, as principais fontes de erros no processo analítico.

A imobilização química de enzimas para o substrato de papel, com base na ativação fotoquímica de celulose com 1-fluoro-2-nitro-4-azidobenzene (CAAF), apresenta potencial de aplicação para preservar e aumentar a atividade enzimática na superficie do μ – PAD. O processo de impressão é um método simples, barato e rápido, através do qual estes micro-dispositivos são fabricados. Este estudo visa a realizar ensaios bioanalíticos com dispositivos microfluídicos (μ – PADs) tridimensionais ativados, para obter ensaios de baixo custo e grande precisão, evitando manipulação de amostras e preparação manual.